• Detalhe pintura Aredores de Curitiba
  • Detalhe pintura Duas Racas
  • Detalhe pintura Entrada Barra Sul Por do Sol
  • Detalhe pintura Mulher Desconhecida
  • Detalhe pintura Paisagem com Lírios
  • Detalhe pintura Paisagem Paranaense

Notícias

27/03/2019

Serigrafia em azulejo: conheça o novo curso da Academia Alfredo Andersen

 

Técnica é ministrada pelo artista Sergio Moura; ainda há vagas para as aulas, nas quintas-feiras à noite 

 

 Entre as técnicas artísticas existentes, a serigrafia costuma ser vista como a mais "democrática" por motivos como: baixo custo de manutenção, reprodução fácil e aprendizagem rápida, além de poder ser feita em superfícies como azulejos e outros objetos de cerâmica. É esse o mote principal do curso de Serigrafia em Azulejos, uma das novidades na grade de oficinas do Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA) para 2019, que ainda tem vagas. As aulas vão até 12 de julho de 2019, sempre às quintas-feiras, das 18h30 às 21h45.

O professor Sergio Moura

 "A serigrafia é o carro-chefe, é por ela que transportamos imagem, formas e cores. O aluno vai aprender a fazer esse decalque na cerâmica, seja no azulejo ou na criação de um vaso, um prato, uma caneca, ou em um mural, compondo um recado visual", explica o professor do curso, Sergio Moura. O artista, graduado em Pintura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP) e pós-graduado na mesma instituição, trabalha com diversas linguagens artísticas, como gravura, fotografia, performance e arte coletiva. "Sou um artista multimídia", define.

 Moura confessa, no entanto, uma predileção pela serigrafia (é por isso que prefere lecionar a técnica). "Após produzir pintura, me preocupou a ideia de não vender só para quem tem muito dinheiro. Por isso, comecei a pensar em um método gráfico que me permitisse reproduzir o meu trabalho e ofertar por um preço mais acessível para as pessoas. Foi aí que me aproximei da serigrafia", explica ele, que começou a estudar em 1975, no Centro de Criatividade de Curitiba.

 Em seguida, quando o centro migrou para o Solar do Barão, na década de 1980, Moura ajudou a instalar um departamento de serigrafia dentro do espaço (história que ele contou em seu trabalho de especialização na EMBAP, no curso de História da Arte Moderna e Contemporânea). Moura realizou também 23 exposições individuais, inúmeras coletivas e integrou um grupo de artistas escolhidos pela fábrica de louças Oxford para uma coleção de pratos que homenageou nomes como Claudio Tozzi, Iberê Camargo, Juarez Machado, entre outros.

Prato de Moura para a Coleção Oxford.

Técnicas

O curso têm como base principal a serigrafia e dialogam com a cerâmica (por serem utilizados azulejos e outras superfícies); não é necessária nenhuma experiência prévia em arte para participar. "Qualquer pessoa pode trabalhar. A serigrafia resgata as práticas manuais e o talento das pessoas quando feita de forma artesanal" acredita Moura.

As aulas

Ainda há vagas para o curso de Serigrafia em Azulejos — as aulas iniciaram no dia 21 de março mas os interessados podem se inscrever para este semestre. Segundo o professor, caso o aluno não consiga acompanhar o curso, é possível retomar as aulas no segundo semestre.

 

Serviço:

Curso de Serigrafia em Azulejos

Inscrições: na sede do museu, Rua Mateus Leme, 336, Centro, das 9h às 12h e 14h às 18h. Telefone: (41) 3222-8262.

Aulas: de 21 de março a 12 de julho de 2019, às quintas-feiras, das 18h30 às 21h15.

Investimento: R$150 mensais (já contempla o material utilizado em sala). Documentos necessários: comprovante de residência e documento com foto.

Número de vagas: 15 por turma. *As turmas serão abertas com um quorum mínimo de cinco pessoas.

Fonte: Secretaria de Estado da Cultura (SEEC)

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.