Andersen recebe cyber ilex, exposição que atualiza o valor do mate na cultura paranaense
29/03/2022 - 17:46

Como parte das comemorações do bicentenário da independência do Brasil, em setembro próximo, o Museu Casa Alfredo Andersen recebe a cyber ilex em diálogo com reproduções autorizadas de obras de Alfredo Andersen. A escultura cibernética batiza a exposição que abre conversa sobre o passado das terras paranaenses em vivências com a erva-mate. A intenção é conectar com o momento presente e mirar no futuro. A exposição é montada pelo coletivo Matte Cultural.

Ilex paraguariensis é o nome científico do mate, planta catalogada por Saint Hilaire em 1820, e que agora se apresenta inteiramente esculpida em impressora 3D. Daí o nome cyber ilex. A obra é assinada pelo artista curitibano Jack Holmer e tem uma produção conjunta importantíssima do Franco Palioff, talentoso argentino que trabalha com artes digitais.

Segundo Luiz Gustavo Vidal, diretor do MCAA, “a exposição ressalta a importância da erva-mate no estado do Paraná, promovendo um encontro das obras de Alfredo Andersen, abordando a temática, e o artista contemporâneo Jack Holmer com sua instalação utilizando inteligência artificial. A cyber ilex simboliza o potencial tecnológico aliado à natureza, dialogando com as pessoas em tempo real para despertar a riqueza que se renova em solo paranaense”.

Luiz Gustavo Vidal, diretor do MCAA:


Além da escultura interativa e de reproduções de pinturas de Alfredo Andersen, a exposição ainda conta com fotos de Christian Schönhofen e uma animação 3D criada pelo próprio Holmer.

Cyber ilex
Uma série de componentes eletrônicos faz parte de um gabinete que foi desenhado para que a árvore robô dialogue com o visitante. Ela pode ser acessada por meio de um aparelho celular que ativa um QR Code para o usuário percorrer em um ambiente virtual gerado pela escultura, contendo fotos espontâneas dos visitantes e outras informações sobre o projeto. 

A câmera instalada captura imagens de quem se aproxima e ainda faz leitura facial que identifica o estado de humor das pessoas.  A planta interage com o público e responde aos estímulos com um piscar de luzes, alternados por movimentos suaves dos galhos e folhas.

A obra de arte ainda conta com sensores para captura de sons emitidos por folhas naturais de erva-mate e que compõem a cena de forma interligada.

Alfredo Andersen
A residência na casa de Alfredo Andersen, pai da pintura paranaense, pedia que suas obras fossem colocadas em diálogo com a instalação da cyber ilex. Ele, afinal, foi contemporâneo do período glorioso do matte paranaense e tem importantes obras envolvendo a ilex

Para acompanhar a cyber ilex, a curadora Angela Zampier expôs reproduções autorizadas de telas pintadas por Andersen. Todo o conjunto irá circular por outros espaços expositivos em cidades no interior do Paraná.

Fotos
O fotógrafo Christian Schönhofen retratou o habitat original da ilex com imagens de ervais nativos e plantados. O objetivo era captar as fases da planta com suas sementes, flores e principalmente a colheita, transformando os produtores de mate em verdadeiros heróis. 

As três cidades do projeto são apresentadas com fotos atuais e também com uma seleção de registros do patrimônio histórico em forma de slide show. Conteúdos estão digitalizados e são transmitidos por monitores (telas).

Animação 3D
Uma animação desenvolvida pelo poeta tecnológico Jack Holmer faz referência ao estudo sobre as aves dispersoras das sementes de erva-mate elaborado pelo pesquisador Sérgio Dyminski.

O Matte Cultural
O projeto é independente e nasceu em forma de festival no ano de 2016, em pleno Largo da Ordem, local emblemático e inicial da capital paranaense.

Diversas apresentações musicais em um final de semana de inverno que reuniu cerca de 5 mil pessoas no Memorial de Curitiba, apresentando exposição de obras dos principais museus e praça de alimentação com erva-mate, além do tradicional barbaquá com um bom matte raíz.

Coletivos de moda e cosméticos se misturavam com chá e drinks, trazendo uma proposta que naquela época não era compreendida, mas que certamente participou dessa propulsão que o mercado da erva-mate está conseguindo nos últimos anos.

Em 2017 o Matte Cultural escreve proposta para uma exposição itinerante sobre erva-mate e agora está na reta final. Os resultados do projeto são muito positivos com a crescente valorização da planta e as novas perspectivas de mercado considerando inovação e políticas ambientais.

Para o encerramento haverá uma última exibição da cyber ilex em São Mateus do Sul, prevista para o meio do ano, com novas exposições e atrações.

Serviço
Lançamento Exposição cyber ilex
Quinta-feira, 31 de março de 2022
14h30
Museu Casa Alfredo Andersen
 

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias